domingo, 10 de abril de 2016

Primeiro texto para o amor de hoje


      
Teoricamente ele tentava encontrar razões em tudo, mas a parte disto, todos os acertos, todos os erros, todos os sonhos, todas as suas ações eram movidas por amor. 
Ele não movia uma palha de um lugar para outro que não fosse incentivado pelo um amor de verão ou uma paixonite de segundos atrás ou mesmo um amor para a vida inteira que seu coração fazia questão de gritar aos céus e ao diabo.  Não há nesse mundo quem não carregue consigo pelo menos umas quatro paixões vividas ou não que pode chamar de "pra sempre", e ele podia se gabar que carregava dezenove delas.  Mesmo diante dos fatos, ele preferia se dizer intocável pelas futilidades que, ironicamente, ele atribuía ao amor.  Mas uma coisa é certa, quando ele chegar perante Deus para confessar os seus pecados terá como argumento que todos os erros que cometera até ali, foram erros de amor. Logo Deus, o amor em pessoa como se diz, não será capaz de julgá-lo culpado por ter gasto todo o seu tempo amando e se for, terá valido a pena.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário