sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Dom Quixote



Não tenho nada, nunca tive,
 e por essa razão, tenho tudo.
Nada me limita, Senhorita! 
Agora mesmo posso ser quem me der na telha.
Posso ser um tirano e amar-te como as borboletas amam as rosas.
Posso nascer entre os lobos e me tornar cordeiro,   
Crescer na selva e me tornar nobre, 
Ser um louco, um ébrio - e ao mesmo tempo, sóbrio.   

Eu nunca fui nada, Senhorita. 
Não me pintaram em telas por minha bravura, 
não esculpiram meu rosto no mármore, 
não cantaram epopeias de minhas aventuras.   
Mas digo-te que, por não ser nada, ainda me resta tudo. 
Empunho a espada dos honrosos cavaleiros, 
dos reis mais nobres e dos mais bravos soldados,
Com ela, ainda posso salvar princesas de tigres selvagens, 
Matar dez leões de Nemeia e fazer dragões cantarem ilari lariê da Xuxa.   
Sem contar que nenhum outro vai fazer-te rir com essas loucuras.     

Não, não tenho nada.
Não tenho ouro, prata, Francos, Rublos,
só franqueza, imaginação - e esse coração que é teu súdito.  
Também não tenho gado, terras a perder de vista 
nem ovelhas do mais perfeito lã ou cavalos  puro sangue.  
Tenho apenas imaginação e, não tenho dúvida, que ela me levará à loucura. 
Mas também me elevará as alturas - e quando esse dia chegar, quero que estejas lá e me segure.  
Não, Senhorita, não tenho nada, só tenho esse amor por ti que pra mim é tudo.  








10 comentários:

  1. Minha nossa, que lindo. Amei a forma que foi escrito, de verdade. É apaixonante 💜

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo!
    Quem me dera conhecer-te!
    Dulcenéa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Dulcenéa. Quem sabe um dia a gente se encontra...

      Excluir
  3. Gostei muito do poema, de fato, é uma representação poética da saga de Dom Quixote, me fez lembrar bastante essa personagem tão carismática e ao mesmo tempo incompreendida. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Lindo!!!! Você escreve com o coração e isso é a melhor coisa a se fazer!!

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não dá para ter dó quando nos deparamos com um texto tão bonito! Ele tem apenas o amor para presentear, mas este é o maior presente que ele poderia oferecer.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá! Parabéns!! Amei teu texto, lindo, limpo e direto. Mas também sentimental e doce. Eu li sorrindo!!! Amei!! Beijo

    ResponderExcluir
  7. Já fazem anos que eu li Dom QUixote e gostei muito de ver o seu poema, achei simples e ao mesmo tempo profundo nas próprias palavras

    ResponderExcluir
  8. Olá Samuel, tudo bem?
    Mais uma vez um texto lindo escrito o por você. Amo seus textos e acompanho seu blog para ler mais e mais coisas lindas como essa. Parabéns. Continue escrevendo. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi amigo, tudo bem? Passeando pela net encontrei teu blog e achei muito interessante. Também tenho um blog de poesias, quando puder dê uma passadinha lá, ficarei muito honrado pela tua visita. Abraços, bom domingo. Até mais.

    ResponderExcluir