quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

O teu sorriso me dá onda



Sinto um vazio, um oco, uma falta de pessoas pra amar, de pessoas que me ame, uma falta de razões. Maldito inferno esse de não amar alguém loucamente! Eu vou sair por ai e a primeira garota que me aparecer na rua vou amá-la perdidamente. Vou proferir juras de amor, fazer planos até que tenhamos oitenta anos. Vou comprar flores e levar bombons e dizer que o bom da vida é viver do lado dela. Vou morrer de ciúmes, de saudade, de insegurança e viver de um coração verde enviado junto com um "bom dia" às duas da tarde. E eu, feliz e exagerado como sempre, vou responder com vinte "eu te amo" seguidos de novecentos corações vermelhos e pulsantes, porque senão for pra ser assim eu nem quero.

Vou aprender a gostar de funk proibidão, de pagode romântico e Wesley Safadão, só porque ela gosta, afinal, a gente aprende a amar tudo que a pessoa amada ama. Vou comprar uma corrente e um boné aba reta e tirar fotos mostrando um abdômen sarado que não tenho, mas se eu tirar a foto sem respirar e com uma boa edição, até consigo. Vou curtir todas as fotos dela e comentar "linda e minha" que é pros marmanjos ficarem ligados nos paranauê.

Vou sair ao fim de tarde com ela pra tomar um sorvete de baunilha e tirar uma Self pra postar no Instagram, porque receber comentários falsos como "lindo casal" agrada demais e ser invejado é muito Phoda! De madrugada, apesar de ter passado o dia inteiro falando com ela, na falta de assunto, a gente pergunta a velha máxima "como foi seu dia" e tudo começa de novo, porque o assunto pouco importa o interlocutor é que a graça da coisa. Ah! Amar é bom demais e dá uma onda daquelas.   


Nenhum comentário:

Postar um comentário