sábado, 26 de março de 2016

É um é dois é Ana



De estrela em estrela até te conhecer
Pode não ser eterno, pode ser um inferno,
Mas o céu é maior sempre que te vejo.
Pode ser mentira toda essa verdade,
Pode ser um sonho essa realidade,
Mas eu quero mentir e sonhar em teus braços.

De lua em lua até te encontrar, meu Sol.
Há de está por perto essa distância,
Essa esperança que descansa, disposta
há ser sempre bossa nova.

De estrela em estrela brilhava tu de longe
Mostrando-me o caminho pra te encontrar,
despertando em mim o canto dos sabiás
que tímidos cantavam com os sonhos
de te ouvir cantar.

Antes de ti,
Dançava eu de olhos em olhos;
Era aquele "quase vivo"por não te ver passar
de cabelos soltos, Linda, do jeito que estás.
Eu disse que valia apena os gestos simples;
Ver-te na escola, te ouvir cantar encantado
com tua voz, que eu amo por te amar.

Antes de ti,
Eu pulava de mim em mim, sem me encontrar.
Hoje, te ouço no barulho das águas finas,
No estrondo do vento quando desperta a persiana,
Quando ouço, Viva Mariana.
É bobo! Eu sei!
Mas em tudo vejo a minha menina, meu astro rei.
E ainda há quem duvide que eu ame!
Agora, de estrela em estrela a gente gira o mundo
como quem pensa que o mundo nunca vai começar.
E ainda há quem duvide...
















Nenhum comentário:

Postar um comentário